domingo, 29 de setembro de 2013

As comparações matam o esporte brasileiro.

O título deste pode até parecer exagerado, mas nos últimos dias estava pensando como as comparações atrapalham e de certa forma “matam” alguns esportistas brasileiros.
A cerca de um mês a seleção brasileira masculina de basquete foi eliminada de forma pífia, para não dizer outra coisa, da Copa América que valia vaga no mundial da modalidade que será disputado nos meses de Agosto e Setembro do ano que vem.
Conversando com várias pessoas sobre o acontecido, elas seguiam a mesma ideia do técnico da seleção Rubén Magnano, que os principais culpados seriam os jogadores da NBA que pediram dispensa e que no tempo do Oscar não acontecia isso.
Será? No tempo do Oscar o mundo era outro. Não girava em torno de tanto dinheiro como hoje.
Não estou dizendo que essa é a forma correta, mas não sabendo a situação detalhada de cada um. O motivo real de cada uma das dispensas.
Será que essa pressão dada em cima de jogadores como Cristiano Felício, Rafael Luz e Rafael Hettsheimer, que por exemplo não pontuaram na última partida contra a Jamaica, não prejudicou não só a eles como o grupo todo? Eles não prestam para mais nada? E se Nenê, Varejão e companhia estivessem disponíveis para o campeonato e o resultados fosse o mesmo, de quem seria a culpa? Muitas perguntas sem resposta.
Da mesma maneira acontece com cara como Thomaz Bellucci e outros tenistas, sempre com resultados comparados ao Guga.  Com o Barrichello e o Massa comparados ao Eterno Senna, só pra citar uns, na minha opinião, mas hostilizados por contas das conquistas. Caras que tem resultados, até bons, mas nunca são o suficientes para a maioria.
Comparar as pessoas, no caso os esportistas, com mitos é algo comum, mas devemos maneirar nas comparações. Nunca mais surgira um Senna, um Oscar, um Guga, um Zico, um Pelé, por que esses caras foram únicos. Podem surgir até próximos a eles mais nunca iguais. O que temos que fazer é comemorar resultados positivos e dar apoio nos negativos.
Pois nem todo o esporte é como o futebol e o vôlei que os ídolos sempre se renovam de temporada em temporada.

Estamos a menos de dois anos do maior evento esportivo do mundo, as Olimpíadas, que acontecerão aqui no nosso país e sem apoio dos próprios brasileiros quem irá incentivar nossos atletas? #FicaaDica


terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Carão do Rei




Quem não se lembra de uma das mais famosas frases do ex. atacante e atual deputado federal Romário:  "Pelé calado é um poeta".
Concordo que o Rei na maioria das vezes usa sua posição para ser inconveniente, mas desta vez acho que até o baixinho concordou com ele.
No último domingo foi exibida no esporte espetacular a entrevista que ele concedeu ao repórter Renato Ribeiro da rede Globo.
Dos vários pontos abordados na entrevista, o mais polêmico foi quando o falou da maior estrela atualmente do futebol brasileiro, Neymar.
Pelé falou que o craque do Santos e da seleção está muito preocupado com a mídia. Com isso está caindo de rendimento dentro de campo.
Wagner Ribeiro, empresário do jogador santista, afirmou que Pelé fala isso, para voltar a mídia e que seja jogassem na mesma época, Neymar seria melhor que o Rei.
Menos, bem menos...
Wagner também disse que mesmo aparecendo em muitos eventos, Neymar nunca faltou um treinamento no Santos.
Que ele não faltou nenhum treino é sua obrigação como PROFISSIONAL, mas ver um dos principais jogadores da nossa seleção hoje aparecer mais no EGO do que no GloboEsporte.com por exemplo é preocupante.
Preocupante, pois queremos ter uma seleção que no mínimo, lute para vencer a copa em casa e não uma preocupada em ser a capa da Caras.
Fica a dica. Acorda cabelo feio...

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Equipes definidas para o All - Star 2013

A NBA anunciou nesta quinta-feira quem serão os 14 jogadores reservas do All-Star Game, o jogo das estrelas da liga norte-americana de basquete. A partida acontecerá em Huston, no dia 17 de fevereiro, reunindo as principais estrelas do campeonato – os titulares são escolhidos por votação, e os reservas, pelos treinadores.

O destaque da lista de suplentes é a mistura entre veteranos e jovens talentos da liga. Tim Duncan, que faz uma temporada especial no San Antonio Spurs, foi lembrado e fará sua 14ª participação no jogo. Chris Bosh, do Miami Heat, vai para seu oitavo All-Star Game em dez temporadas como profissional.

Os estreantes serão seis, cinco deles na Conferência Leste: o pivô Tyson Chandler, do New York Knicks, o ala-armador Paul George, do Indiana Pacers, o armador Jrue Holiday, do Philadelphia 76ers, o pivô Joakim Noah, do Chicago Bulls e o armador Kyrie Irving, do Cleveland Cavaliers, terão a honra de jogar seu primeiro All-Star Game.

A lista de reservas do leste tem, ainda, o veterano Chris Bosh e o sudanês Luol Deng, dos Bulls, que fará sua segunda aparição na liga. A equipe titular entrará em quadra com Rajon Rondo (Celtics), Dwyane Wade (Heat), LeBron James (Heat), Carmelo Anthony (Knicks) e Kevin Garnett (Celtics).



No Oeste, apenas um jogador fará sua estreia no jogo das estrelas: trata-se de James Harden, único jogador “da casa” no All-Star Game – desde o início da temporada, ele defende o Houston Rockets.

Além de Harden, a lista de reservas anunciada hoje tem os armadores Russell Westbrook, do Oklahoma City Thunder, e Tony Parker, do San Antonio Spurs e quatro alas que também podem atuar como pivôs: Zach Randolph, do Memphis Grizzlies, LaMarcus Aldridge, do Portland Tral Blazers, David Lee, do Golden State Warriors e Tim Duncan, do San Antonio Spurs.

A equipe titular do leste terá Chris Paul (Clippers), Kobe Bryant (Lakers), Kevin Durant (Thunder), Blake Griffin (Clippers) e Dwight Howard (Lakers).

Os treinadores das equipes serão definidos pela classificação da temporada: os técnicos dos times com melhor campanha em cada conferência no dia 3 de fevereiro serão os eleitos – Tom Thibodeau, dos Bulls, e Scott Brooks, do Thunder, são inelegíveis por terem sido os comandantes dos times na temporada passada.